02. 03.
Keine Ahnung was ich hier mache, trotzdem bin ich hier...

segunda-feira, 22 de junho de 2009

A Nova Língua



A criação de meios de comunicação mais eficientes, a diminuição do tempo de viagem a vários lugares do mundo, o uso constante da internet implicando uma maior integração entre as culturas são características da era global na qual vivemos.

Outro fenômeno da globalização é a nova língua a qual surge a partir da junção doutras línguas, modificando-se aos poucos o idioma diário. Essas novas palavras incorporadas ao idioma nacional a cada dia são, quase em sua totalidade, vindas da língua inglesa, devido ao seu constante uso em produtos eletrônicos e nas páginas da internet.O inglês é sempre uma alternativa aos novos softwares e sistemas devido à facilidade de suprir as necessidades de rapidez na comunicação e também pela falta de acentos fonéticos, o que a torna uma língua menos agressiva aos ouvidos. Entretanto, outra forma de comunicação, a qual está cada vez mais forte entre os jovens, ainda sem um nome certo, já faz parte da realidade virtual e, de certa forma, do drama escolar d’alguns professores de outras línguas. Na atualidade, com todos os seus apetrechos comunicacionais, foi descoberta a necessidade humana de comunicar-se constantemente, dum jeito cada vez mais rápido e sucinto, sobretudo com uma língua a qual não dá-lhe trabalho e seja compreendida por todos, e para que essa necessidade fosse suprida, a língua desdobra-se a compactar-se para que não seja deixada de lado.

Segundo especialistas da área lingüística, esse fenômeno da idade moderna vem sendo observado há bastante tempo, e em algumas nações medidas foram tomadas com o intuito de barrar uma possível destruição idiomática nacional por parte do estrangeirismo. Um exemplo disso é a Islândia, nação ao norte da Europa e isolada, cuja língua recebeu milhares de palavras novas incorporadas pelo órgão local responsável pelo idioma islandês, a diferença é que essas incorporações foram estudadas em reuniões nacionais e palavras já existentes no idioma substituíram os termos estrangeiros, e dessa forma, evitaram estrangeirismos idiomáticos, porém também dificultou a comercialização do idioma. Já os japoneses, ao invés de barrarem, criaram um sistema lingüístico para que expressões estrangeiras fizessem parte de seu idioma, tornando a língua mais comercial, porém deixando os mais velhos e tradicionais nipônicos desgostosos com o novo idioma.

A globalização e integração cultural em muitos pontos foram benéficas à vida moderna em sociedade, no entanto esqueceram-se de pensar numa maneira das culturas regionais, entre elas a língua, não sumirem ou caírem no desuso. É muito importante que saibam usarem os gracejos da rápida comunicação sem perder sua identidade lingüística.

Seguir este Blog | Indicar este Blog | Sugestões | Sobre Quem vos fala

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO