02. 03.
Keine Ahnung was ich hier mache, trotzdem bin ich hier...

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O Fim Dos Sacoleiros

O ambulante paulista Walter Negrão fala com saudades da época em que o Paraguai era sua principal fonte de renda:

- A profissão de sacoleiro já deu muito dinheiro, principalmente de 1990 a 1993, mas depois começou a cair. Uma televisão no Brasil custava R$ 800, mas você conseguia comprar no Paraguai por R$ 200. Então o lucro era grande.

Negrão era dono de supermercado, mas após o confisco da poupança durante o governo de Fernando Collor de Mello (1990-1992), faliu. Com pouco dinheiro, resolveu ser sacoleiro. Ele mudou para Foz do Iguaçu, cidade paranaense que faz fronteira com Ciudad del Leste, no Paraguai. E conseguiu se recuperar revendendo eletroeletrônicos importados para os brasileiros. Para ele, os sacoleiros ajudaram a derrubar o preço dos eletroeletrônicos no país.

- Havia os privilegiados que podiam viajar para fora e comprar os produtos mais baratos. Mas o povo tinha que pagar caro se quisesse ter uma televisão, uma batedeira. E com os sacoleiros as empresas perceberam que não podiam mais cobrar aqueles preços.

Essa fartura, porém, não durou muito.

- A abertura da economia brasileira, a adoção de uma moeda forte (o real) e a chegada dos produtos chineses deixaram para trás os produtos "made in Paraguay" - explica a professora de macroeconomia brasileira Cristina Helena Mello, da PUC-SP.

Hoje a atividade de sacoleiro é "muito menor", segundo Negrão. Ele diz que a chamada Lei dos Sacoleiros, que entrou em vigor em setembro e permite que pequenos importadores abram empresas e paguem um posto fixo de 25% em cima das mercadorias, chegou tarde demais. Além disso, ela depende de estruturas da Receita Federal para "pegar".

- A maioria dos brasileiros que vão a Ciudad del Leste buscam produtos de ponta, que são mais caros no Brasil. Lente de contato, coisas de computador. Mas hoje os produtos vão para o Brasil de barco, de avião, não são mais trazidos em sacolas.

Quanto ao tamanho desse comércio, não é possível ter números exatos, mas a Receita Federal em Foz do Iguaçu apreendeu US$ 3,4 milhões (R$ 6,1 milhões) em agosto, sendo que os veículos e os cigarros tiveram destaque. Os cigarros são US$ 886,1 milhões (R$ 1,5 bilhão) do valor total.

fonte: www.r7.com

Seguir este Blog | Indicar este Blog | Sugestões | Sobre Quem vos fala

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO