02. 03.
Keine Ahnung was ich hier mache, trotzdem bin ich hier...

quinta-feira, 11 de junho de 2009

A arte de NÃO fazer nada

Segunda, terça, quarta... Os dias “úteis” trazem uma vontade incontrolável de fazer nada. Dá vontade de sair correndo do trabalho, da faculdade, e ir para casa se dedicar ao ócio. O final de semana é evento nacional e merece até contagem regressiva, tudo isso para poder dormir até tarde, ficar quietinho num canto, longe de agito e responsabilidade.


tá meio complicado >.<


Já no final de semana, essa vontade de sumir dá lugar à busca de "algo pra fazer". Não importa o cansaço, este deixa de existir, e aquele funcionário dedicado que estava louco pra descansar não admite a possibilidade de ficar à toa em casa num FINAL DE SEMANA! Aquele barulho de cidade grande que até quinta-feira só dava dor de cabeça não o incomoda mais e o que ele quer é se libertar do tédio.

Não importa se é um passeio no parque, uma balada, uma visita ao museu, o cinema ou teatro, é inaceitável ficar em casa em um final de semana (mesmo sendo o nosso desejo durante a semana õ.ó).

Temos um enorme prazer em encarar filas imensas para sentir o cheiro gostoooso de jaulas, encarar engarrafamentos para ver o jogo do timão, chegar em casa domingo de manhã com cheiro de cigarro e bebida, suportar altísimos decibéis, derramar coca-cola\pipoca no pé no meio daquela comédia, pagar $50 no teatro e não escutar direito uma fala chave (e assim que chegar em casa correr pro youtube pra entender direito a peça que acabou de ver), ficar acordado uma noite inteira bebendo e tocando violão com quem nunca vimos mais gordos, jogando video game, ensinando um filho a andar de bicicleta, etc.


fila: momento de interação social indispensável ao ser humano não só no fds


A lei é não ficar parado (Y).
Terminamos o sonhado final de semana quebrados, não porque exageramos nos programas, mas porque amanhã é segunda-feira e trabalhar caaaansa...

Seguir este Blog | Indicar este Blog | Sugestões | Sobre Quem vos fala

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO